Conto - Por Um Espírito.



Haveria um espírito de ser perdoado um dia? Poderia ele cansar-se de ser o que é?

Antes era otimista em relação a isso, porém alguns anos se passaram desde o dia em que abandonei meu corpo físico e passei a ser somente energia. Me tornei um espírito assim como você também um dia há de se tornar. Motorista alcoolizado, alta madrugada, inconseqüência... Meus entes queridos, esposa e filhos, seguiram a ordem natural das coisas: foram para a luz. Já eu, tomado pelo perverso sentimento da vingança, não segui com eles. Antes aquele homem iria pagar caro pelo que fizera e a justiça seria feita por minhas mãos. Porém, como espírito, aprendi após muito tempo que não era capaz de satisfazer minha sede de sangue. Minhas mãos espirituais não podiam tocá-lo. Fui então sumariamente tomado por pérfidos sentimentos: ódio, ira, rancor...
Eu era incapaz de cumprir minhas juras de vingança...
Hoje, após anos, ainda não me permitem chegar até minha família. A luz me queima, cega e impede que me aproxime. Estou só, mas se encarnado o suicídio seria a solução para uma existência sem propósito algum, como a minha, sendo espírito o que eu poderia fazer?
Cansado, sim, e muito. Do caminho que escolhi e da dura pena que devo cumprir: cansei-me de presenciar, incógnito, os mais terríveis sortilégios. São como um ímã que me atrai, me arrastando até eles para que os presencie. Assisto a tudo, cada detalhe de vidas sendo ceifadas. Ouço cada súplica desesperada, cada impropério sádico emitido, vislumbro olhares se apagando e sonhos se desfazendo, sem nada poder fazer além de assistir tais coisas.
Hoje sou nada além de um espírito errante a cumprir sua triste e eterna sina: conduzir espíritos para a luz, sem poder penetrá-la.



Conto publicado em Terrorzine nº 19, baixe seu exemplar em http://www.literaturafantastica.com.br/terrorzine19.pdf

2 comentários:

  1. Muito legal o conto, dá pra se tirar diversas conclusões sem ficar preso em uma só.
    A trilha sonora dispensa comentários: 10!!!

    ResponderExcluir
  2. Cara, isso sim é conto de terror, assim como outros que eu li.
    Terror não é tripas, sangue e corpos decompostos, terror psicológico, isso sim é terror. Algo que nos faz pensar, temer, refletir e até mesmo chorar.
    Misturar terror com comédia é escroto, terror com romance, bixonhos bonitinhos, é tosco, viva o verdadeiro terror, que é o que encontrei aqui.
    Acaba de encontrar um visitante assíduo e devorarei todos os outros com bastante parcimônia, ehehehehehe.
    Aliás, escreva um conto sobre pastéis, o tio lokão lá escreveu aquele lixo de empada e foi eleito o melhor do ano, se você escrever um de pastéis será o escritor do século, uaauaau.
    Um abraço!!!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário.